Envie para a equipe do sma possíveis erros que existirem nesta página:

Os produtos apresentados nesta página são gerados e disponibilizados de forma automática pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/INPE) a partir de dados provenientes do National Oceanic and Atmospheric Administration‘s (NOAA), atualizados semanalmente nesta seção. As figuras abaixo representam a variação espacial dos valores de anomalia da Temperaturas da Superfície do Mar (TSM) observado na última semana para as regiões dos oceanos Atlântico, Pacífico e demais áreas do globo.


O campo de anomalia da TSM representa o desvio da temperatura do mar observada atualmente em relação a média histórica dos últimos 30 anos, onde as regiões com águas superficiais mais aquecidas do que o normal são mostradas nas áreas em cores variando do amarelo ao vermelho. Por outro lado, as áreas destacadas em cor azul, indicam aquelas onde as águas superficiais estiveram mais frias do que a média histórica. Já as áreas de cor branca na indicam que as TSM's estão em torno da normalidade.

As figuras acima mostram a distribuição espacial dos valores médios de anomalia da TSM observados entre os dias 18 e 24 de  novembro de 2018 para diferentes regiões do globo. Nota-se que as águas superficiais estão mais quentes do que a média ao longo de praticamente todo o equador no Oceano Pacífico, em grande parte dos trópicos ao norte do equador e grande parte do Pacífico ocidental ao norte e ao sul do equador, com desvios positivos variando entre 0,5° a 2ºC em relação ao padrão climatológica.

As regiões dos Niño 3.4 (porção central) e 1+2 (leste) estão apresentando valores de anomalia da TSM que excedem o limiar para classificação de El Niño (+0,5⁰C) em torno de 1,3⁰C e 0,8⁰C, respectivamente.

Na costa sul do Brasil, as águas seguem mais quentes que a média histórica.